quarta-feira, fevereiro 06, 2008

Explicação do Sexo

há nas costas um movimento
inquieto
de ritmo sempre quebrado e refeito

tão longe quanto posso ir
percorro o corpo
num gesto imperfeito
de saber o mapa do ponto
de não retorno

mãos e bocas em regresso
até onde consigo ir
para que seja perfeito o momento?

(embora não tenha a certeza de que este poema deva aqui figurar, foi o primeiro em muito tempo)

5 comentários:

Paulo disse...

Adorei este poema!
Não só pela explicação, pelas palavras que escolheste, como também pela forma como o disseste.
Claro que deve figurar aqui (ou em qualquer outro sítio decente).

confra-ria disse...

a perfeição é como o horizonte,nunca a conseguimos atingir mas para lá caminhamos e o tulissimo está no trilho certo.Não pares ,gostei do poema.
Manu

tulisses disse...

Obrigado Paulo. Não é todos os dias que tenho um mestre a elogiar uma coisita escrita por mim.

obrigado pelas palavras, confra-ria. Podes voltar sempre que quiserer.

Denise disse...

E eu pus um link dos Rabiscos para aqui. De leitura mais que obrigatória!

Denise disse...

psiu... dois mestres :)