sábado, março 21, 2009

Dia da poesia, ó T!


Porque é dia de poesia (supostamente):
«andei pelas praças anunciando o teu nome,
chamei-te barco, flor, incêndio, madrugada»
e «falei de ti com as palavras mais limpas,
viajei, sem que soubesses, no teu interior»,
como diz Fernando Assis Pacheco, acrescentando:
«hoje os versos são para entenderes».
Se é que me faço entender pelas palavras dos outros.

(isto não é um poema, é uma sms com versos de Fernando Assis Pacheco - o poema completo pode ser lido aqui. E esta é também a entrada do Livro dos Dias de hoje)

4 comentários:

JotaSP disse...

_______________chamei-te barco, flor, incêndio, madrugada________________


e eu fico feliz com o teu regresso ao sítio___________

OBRIGADO!

um abraço assim «««

tulisses disse...

e a ele voltarei várias vezes!

abraço!

mim disse...

a propósito , apesar da minha não resposta devida a uma prosaica falta de saldo, queria aqui dizer outra vez obrigada. és dos poucos que consegues dar vida assim ao meu telemóvel. e dos poucos que me faz lembrar porque é que eu ainda gosto de poesia. ou porque é que ainda há poesia de que gosto. faz sentido?

tulisses disse...

faz todo sentido, minha feia. vindo de ti faz sempre sentido, mesmo quando tem de ser inventado ou o sentido se aproxime da impossibilidade do sentido (inserir mãos a gesticular e uma maçã).

bjs