domingo, julho 06, 2008

Diz que é uma espécie de nostalgia

ou então não. Mas deu-me para rever os meus cadernos dos Pensamentos Ligeiros, do número 1 ao número 7 (entre 1998 e 2003), à procura de alguma coisa que pudesse aproveitar para estórias do meu livro de contos deste ano, Vazio Repetido. Surgiram algumas, sim. Mas lá encontrei algumas coisas fantásticas dos tempos de EP que não partilhei ainda. Aqui ficam:


"os pobres vestem sarapilheira, os ricos vestem seda." Ar. Sar.


Numa reunião da AEFLUP, discutindo uma proposta que nos tinham feito, muito estúpida, mas que não podíamos recusar:

Bel: "Mas isso é uma punheta..."
Que: "Que nós temos de engolir..."


A estudarmos para Literatura Portuguesa I:

Su: "BAudelaire, p#$% que o pariu!"


E, finalmente, a minha versão daquela música que eu adorava (ui ui), a Menina Azul:

Viagra Azul
.
Senhor doutor
dê-me comprimidos para pinar
desde que eu a comi
que eu não consigo mais brocar

Viagra Azul, Viagra Azul...

Estou tão deprimido
sem saber que fazer
pobre e mal vestido
sem conseguir mais f...er

Viagra Azul, Viagra Azul...

E penso em ti a toda a hora
penso em ti pela noite fora
Viagra Azul, Viagra Azul...

E sexo e sexo, todas as posições e sexo,
Passear contigo na farmácia, pinar é tão bom
E a mão lá no coisa,
E a boca também,
ai é, não é, pois é...


Nota:
Milai, ainda está num desses cadernos uma alça do teu soutien, em silicone, que se estragou quando estavas na residência, no meu quarto, a preparar-te para ir para a queima, na mesma noite em que a Bruna apanhou com o isqueiro na testa e teve de ir para o INEM... Só nós...

6 comentários:

Milai disse...

OH!!!! De rir!!! Já não me lembrava!! (da alça) , nao do isqueiro. Como é que eu resolvi? Não me acredito que fui sem alça!!!

tulisses disse...

isso já não me lembro... acho que não compraste outro de propósito, mas sim que improvisámos algo... lol

gimane disse...

Eu disse isso do senhor? Porque é k eu sou assim? :s
*

tulisses disse...

pois disseste... e se clahar até pior, mas só registei essa frase brilhante, reveladora do nosso estado de desespero... bons velhos tempos!

natacha disse...

A propósito de bons velhos tempos, que bom foi gargalhar com este excerto de uma reunião da saudosa AEFLUP (sim, porque ao que parece, já não existe...).

Um dia vasculho os teus cadernos todos à procura de mais pérolas!!!

As malas continuam em produção... Uma fica À tua espera ;-)

beijinhos

tulisses disse...

Pois, ao que parece é uma das coisas que vai para o museus das coisas extintas e raras...

os meus cadernos já pouco terão para dar, mas pode ainda haver surpresas!

deixa-me começar a trabalhar e ganhar dinheiro que compro logo uma. será uma bela prenda de aniversário para a minha irmã... ou para outra pessoa ;)