sexta-feira, junho 20, 2008

Instituto Camões - fim do eterno retorno

Por maus motivos. E pelo menos para já. Explico-me: não passei nos psicotécnicos, outra vez. E a Susana, a minha amiga destas coisas, não conseguiu também, outra vez. Não fui derrotado por uma equipa alemã, antes fosse, era bom sinal. Mas como a coisa não se deu, é preciso agora ver o que falta fazer: continuar as visitas na Exposição, andar com a dissertação para a frente, e concorrer ao doutoramento e à bolsa, concorrer a Tormes... E não volto a concorrer, pelo menos nos próximos tempos. Estou farto, a sério. E assim poderei continuar estudos, participar nas conferências em que me inscrevi e que me aceitaram/aceitarão - mas não é bem a mesma coisa...
Entretanto, andando por Lisboa e tal, vi finalmente o Palácio da Ajuda, que é muito interessante e apelativo. Estava cheio de crianças que seguiam atentamente as monitoras - o palácio tem um excelente serviço educativo, e recomenda-se a visita.

2 comentários:

Paulo disse...

Ora bolas... Imagino a tua decepção! Fosse eu estaria furioso, acredita. Boa sorte para todos os entretantoS. Um abraço e ânimo que o mundo não acabava no ICamões!

tulisses disse...

sim, foi mais ou menos uma decepção, por ser segunda vez, e por ter passado na prova escrita que tinha corrido mal e não ter passado nos psicotécnicos que tinham corrido bem... ou relativamente... e tal. mas há ainda tantas outras coisas pela frente! não acaba nada, para já. Obrigado pelo ânimo, ainda assim.

Abraço